A Google regista a localização dos utilizadores mesmo que estes não queiram

A Google regista a localização dos utilizadores mesmo que estes não queiram

Não deve ser novidade para ninguém que a Google regista todos os movimentos dos seus utilizadores, para poder dar-lhes a melhor experiência de utilização e, ao mesmo tempo, conseguir traçar perfis ainda mais precisos e com maior detalhe.

Esta é uma opção que pode ser desativada por qualquer utilizador, mas como foi agora descoberto, este registo de localização continua a ser feito, mesmo que estes indiquem que não querem ser seguidos pela Google.

Google localização registo GPS

As questões de privacidade que os recentes casos do Facebook trouxeram a público vieram alertar para uma realidade que muitos já haviam esquecido. As empresas registam a localização dos seus utilizadores, com um elevado grau de precisão e, como seria esperado, fazem uso dessa informação para proveito próprio.

A recolha do histórico detalhado de localizações pela Google

A Google é uma dessas empresas e, desde cedo, permite aos utilizadores desligarem este rastreio, com as devidas implicações no que toca à utilização dos serviços. A empresa alerta sempre para este facto, na tentativa de que a localização não seja desligada.

O problema é que, e segundo uma investigação levada a cabo pela Associated Press, na verdade os serviços da Google continuam a recolher informação dos utilizadores, mesmo quando o histórico de localização está ativo.

Google localização registo GPS

Esta investigação surgiu com base num artigo de K. Shankari, que perguntava como era possível a Google ter pedido a avaliação de um determinado local quando este tinha a recolha de localizações desativada.

Do que foi descoberto, e até confirmado pela própria Google, este é um cenário real e a utilização de alguns serviços e aplicações pressupõem a recolha de localizações, que depois são associadas ao utilizador noutras situações, para efeitos de publicidade e outros. Esta situação acontece tanto no Android como no iOS.

A forma de fugir à Google e de se manter incógnito

Ao reagir a esta questão, a Google confirmou este comportamento e justificou-se com a necessidade de ter essa informação para garantir a melhor experiência de utilização dos serviços. A empresa garantiu também que existe uma forma de sair do seu radar e assim manter-se realmente incógnito.

Para tal, e de forma não muito clara, os utilizadores devem desativar também o campo Atividade da Web e de aplicações, que pode ser encontrada na opção Controlos da atividade da página myactivity.google.com.

Apesar da Google insistir que fornece controlos claros e diretos para a gestão dos dados dos seus utilizadores, a verdade é que não é trivial que esta opção seja a indicada para travar esta recolha e nem que a mesma estava a existir.

Depois de outros escândalos onde se provou que a Google continua a recolher a informação dos utilizadores, mesmo que estes indiquem que não o pretendem, este é mais um exemplo claro de que nem sempre a informação passada é clara e de simples compreensão para os utilizadores, o que se revela proveitoso para as empresas que fazem uso destes dados e que necessitam deles para o seu negócio.

|Fonte

Comentários

comentários